quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

anotações para um dicionário improvável (1)


tempo (s.m.): rua de mão única onde é proibido parar e estacionar.

10 comentários:

  1. Proibido não é... Mas é perigoso...

    ResponderExcluir
  2. e no decorrer da rua encontramos várias paisagens... :)

    beijos

    ResponderExcluir
  3. Além de ter um ótimo gosto pra escolher os nomes dos teus blogs, és poeta admirável!

    Pretendo passar sempre por aqui [e nos seus demais Ecos, claro]

    Parabéns pelo trabalho!

    ResponderExcluir
  4. 'compositor de destinos
    tambor de todos os ritmos
    tempo, tempo, tempo, tempo...'

    e o tempo vai e q a gente vá junto...

    gostei demais dos ecos q li.

    ResponderExcluir
  5. obrigada pela tua visita ao putas resolutas!

    a tua sugestão para o verbete me lembra este poema:

    reme reme
    líria porto

    o momento congelado
    preso na fotografia
    é um lance do passado
    como a carta que te envio
    quando a lês estou mudado
    e a tristeza que havia
    poderá não existir

    o tempo é rio


    *
    besos

    ResponderExcluir
  6. Agora entendi...rs... Adorei o poementário que deixou no meu "estar(g)nada". Obrigada. Seus versos me nortearam até aqui... e descobri seu mundo encantadoramente poético!! Obrigada! beijo

    ResponderExcluir
  7. uma railway
    e tem apenas uma parada
    - dizem que na estação da luz!

    ResponderExcluir