domingo, 20 de julho de 2008

Caverna

(30.mar.2005)

do mundo . . . . . . . . . . . . . . . . . .
das coisas . . . . . . . . . . . . . . . . . .
vejo apenas . . . . . . . . . . . . . . . . . .
as sombras . . . . . . . . . . . . . . . . . .

silenciosas . . . . . . . . . . . . . . . . . .
intocáveis . . . . . . . . . . . . . . . . . .
inodoras . . . . . . . . . . . . . . . . . .

o resto . . . . . . . . . . . . . . . . . .
é o que sinto . . . . . . . . . . . . . . . . . .

e não sei dizer . . . . . . . . . . . . . . . . . .

10 comentários:

  1. passando por aqui para atravessar estas sombras e colher um pouco de poesia no canto da "caverna"...
    ;)
    bjo

    ResponderExcluir
  2. As sombras nos impedem de ver o brilho do sol q nos rodeia...

    Muito bom seu blog, voltarei aki mais vezes...

    ^^

    BjO.

    ResponderExcluir
  3. o platônico que sentes
    bem sabes dizer...

    ResponderExcluir
  4. Não se iludam crianças - intervem o filosófo - o homem das sombras depende da luz, que o faz ser o que é.


    abzzzz

    ResponderExcluir
  5. Vim retribuir a visita, e conhecer um pouco o seu lugar na blogosfera. Mas 6 blogs! Pô!
    Gostei muito daqui! Belíssimos seus poemas! Gosto desse toque de leveza e humor.
    Mas morro de curiosidade se não me disseres em que blog nos encontramos antes!
    Abç, bem vindo chez moi!
    Flávia

    ResponderExcluir
  6. De uma sensibilidade, Rodolfo, que... sem palavras.

    ResponderExcluir
  7. sobre

    tudo

    não dizer

    o

    in

    dizí

    vel




    ~

    ResponderExcluir
  8. fiquei sem palavras
    fiquei no sem saber o q dizer
    o resto
    sinto-o
    bj
    a.

    ResponderExcluir
  9. É bem por aí... tudo meio simples e meio certo. Tudo meio cinza - como as sombras - e o resto preto no branco.

    Beijo.

    ResponderExcluir